página principal

Comunicação

Clipping

Fonte: JC Premium | 06 de abril de 2018

Banho de loja para Mercado da Madalena

Espaço será requalificado e não vai parar de funcionar

Frequentadores do Mercado da Madalena, Zona Oeste do Recife, podem comemorar. Aos 93 anos, o prédio passará por requalificação que inclui melhorias no piso e na iluminação, colocação de coberta, adequação para acessibilidade, reforma dos banheiros e pintura entre outras ações. A obra será realizada com dois terços de recurso federal (cerca de R$ 1 milhão) e um terço municipal (R$ 500 mil) e deve ficar pronta em setembro. Os serviços vão funcionar enquanto o trabalho for realizado.

Comerciantes e consumidores consideram a intervenção necessária. A última reforma de grande porte no mercado ocorreu 22 anos atrás, em 1996. A ordem de serviço para início dos reparos foi assinada ontem pela manhã. Participaram o secretário de Turismo de Pernambuco, Felipe Carreras, autor da emenda parlamentar que assegurou a verba da União; e os secretários municipais de Mobilidade e Controle Urbano, João Braga, e de Turismo, Ana Paula Vilaça.

O Mercado da Madalena tem 177 boxes, maioria de venda de alimentos e refeições. O sapateiro Antônio Tibúrcio, 70 anos, um dos mais antigos locatários, afirmou que a requalificação chega em boa hora. "Recebemos clientes de todos os níveis sociais, dos mais simples aos mais abastados. Os banheiros são péssimos. Precisam melhorar a limpeza, o piso, o telhado", comentou. Numa das entradas do prédio, o telhado está escorado com vigas de madeira.

Segundo a presidente da Companhia de Serviços Urbanos do Recife (Csurb), Berenice Andrade Lima, o serviço será dividido em duas partes. A primeira, com dinheiro federal, inclui reparos no piso, acessibilidade, colocação de cobertas, projeto de combate a incêndios e iluminação. "Também vamos ajeitar as calçadas do entorno do mercado e requalificar a feira do passarinho", explicou.

A segunda etapa, com verba municipal, prevê drenagem, pintura (em parceria com a empresa Iquine, que vai doar a tinta), colocação de paraciclos e lixeiras e melhoria no calçamento da Praça Solange Pinto Melo, vizinha ao prédio. "O mercado é muito mais que um centro de abastecimento. E um espaço de socialização. Essas ações vão melhorar a qualidade dos serviços", observou Berenice Andrade Lima.

"Precisamos de estacionamento, é uma das maneiras de aumentar o movimento que está fraco", sugeriu Leandro Cadete, 23, que trabalha num boxe de venda de frios. "Acho importante a reforma, mas não acredito que saia do papel. Seria ótimo que houvesse reordenamento dos boxes, com separação dos que vendem comida dos demais. Hoje é tudo misturado", defendeu José William Cunha, 34, dono de um boxe de serve refeições.

CENTRO

O Mercado da Boa Vista, no Centro da capital, será o próximo a passar por reforma. Ainda não há data prevista, mas a presidente da Csurb disse que já existe um projeto elaborado para o local. 'Vamos discutir com outros setores da prefeitura, pois falta fechar o orçamento e definir questões relativas ao patrimônio', destacou.



Fonte: Diário de Pernambuco | 05 de abril de 2018

Mercado imobiliário recupera o fôlego

Com juros menores e estabilidade econômica, vendas aumentam em 2018, mas números poderiam ser melhores se os distratos não comprometessem o desempenho das empresas

O mercado imobiliário brasileiro começou o ano de 2018 disposto a recuperar o tempo perdido e reforçar a tendência de alta demonstrada nos últimos meses de 2017. Dados da Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc), desenvolvidos e calculados pela Fipe, da Universidade de São Paulo, mostram que os números de unidades residenciais lançadas e vendidas nos últimos 12 meses (janeiro de 2017 a janeiro de 2018) registraram alta de 22,2% e 12%, respectivamente.

No total, foram lançados no mercado brasileiro 82.902 unidades entre janeiro de 2017 e janeiro de 2018. Na mesma base de comparação, as vendas somaram 105.297 imóveis novos. “De certa forma, é possível dizer que os primeiros resultados de 2018 apontam para uma continuidade da trajetória positiva de recuperação do mercado observada ao longo do ano passado”, diz Luiz Antônio França, presidente da Abrainc.

O relatório consolidado de 2017 da pesquisa dos indicadores imobiliários nacionais da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (Cbic), apurado em 23 microrregiões do país, demonstra que o ano terminou em nítida recuperação na comparação com 2016. Houve crescimento em lançamentos residenciais verticais em 5,2% e em vendas de 9,4 % em relação ao ano anterior. O movimento, informa a Cbic, foi impactado pelo último trimestre do ano e pela melhora da economia, com a queda da taxa de juros, da inflação e pequena recuperação do PIB.

Levando em conta somente o mês de janeiro, os indicadores da Abrainc apontam o lançamento de 3.414 unidades, sendo 22,1% de médio e alto padrão e 76,8% do programa Minha casa, minha vida. Janeiro também apresentou bom resultado de vendas, com 8.412 unidades comercializadas, bem acima da média mensal do primeiro trimestre de 2017, que foi de 7.616 imóveis.

Os especialistas afirmam que os números poderiam ser melhores se o setor dispusesse de marcos regulatórios sobre temas como o distrato, a desistência da compra do imóvel. “Os distratos inviabilizam qualquer negócio no mercado”, diz França, lembrando que as empresas sofrem para pagar os compradores que decidem devolver o imóvel.

Com o agravamento da crise, nos últimos anos muitos compradores acabaram devolvendo imóveis adquiridos na planta, o que trouxe transtornos para construtoras e incorporadoras. Segundo França, muitas empresas, sem ter como devolver a entrada dada pelos compradores, tiveram que fechar as portas. Somente nos últimos 12 meses, de acordo com os dados da Abrainc, foram contabilizados 34,1 mil distratos, o equivalente a 30,7% das vendas de imóveis novos no mesmo período.

No segmento de imóveis de médio e alto padrão, o percentual foi bem maior – impressionantes 42,3%. Nos imóveis do programa Minha casa, minha vida, as devoluções chegaram a 16,8% das unidades vendidas. Desde o ano passado, o governo tem tentado, junto com construtoras, incorporadoras e representantes de consumidores chegar a um acordo para uma proposta “intermediária” que atenda a todas as partes.

Outro dado que confirma o bom momento do mercado é o volume de financiamento imobiliário com recursos do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE), que somaram R$ 3,84 bilhões em janeiro. Comparado ao mês anterior, a alta foi de 4,4%. Na comparação com janeiro de 2017, o avanço chegou a 23,7%. No acumulado de 12 meses encerrados em janeiro de 2018, porém, o montante financiado, de R$ 43,89 bilhões, ficou 5,5% inferior ao apurado nos 12 meses anteriores.

Com orçamento de R$ 82,1 bilhões para investimentos habitacionais em 2018, a Caixa, principal agente financeiro de imóveis no país, tem como meta atingir cerca de 650 mil novas unidades habitacionais nos próximos anos, especialmente no Minha casa, minha Vida. Do total de recursos, R$ 58,8 bilhões virão do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e outros R$ 12,7 bilhões do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE).

A Caixa também anunciou, depois da redução da Selic, uma diminuição nos juros dos financiamentos de imóveis, o que deve dar mais uma ajuda na recuperação das vendas no mercado imobiliário. “Baixar juros é sinônimo de melhorar o poder aquisitivo das pessoas. Quando os bancos diminuem os juros, eles reduzem também as prestações do imóvel a serem pagas, tornando o financiamento mais acessível”, disse José Carlos Martins, presidente da Cbic.

Negócios em alta

Compare os indicadores de janeiro de 2017 com janeiro de 2018

Lançamentos de imóveis residenciais

» 18.552 unidades de médio e alto padrão - Alta de 30,1%

» 64.350 unidades do programa Minha Casa Minha - Alta de 20,1%

» 82.902 unidades lançadas no total – Alta de 22,2%



Fonte: Diário de Pernambuco | 05 de abril de 2018

Prefeitura vai entregar 17 habitações

Novas unidades do Conjunto Habitacional H11, no bairro Campina do Barreto, serão liberadas aos moradores. Os residentes foram transferidos para este habitacional por causa da obra da Via Marginal, prevista pela segunda etapa do PAC Beberibe. Após a entrega das chaves das 17 moradias, o prefeito Geraldo Julio vai reinaugurar a Praça Maria José dos Santos, próxima ao habitacional.



Primeiro trecho da requalificação da BR-101 é entregue

Fonte: Jc Online | 03 de abril de 2018

Primeiro trecho da requalificação da BR-101 é entregue

Neste trecho liberado pelo DER-PE foram executadas ações como a retirada das placas de concreto, recomposição da estrutura do pavimento, drenagem e aplicação do novo asfalto em concreto betuminoso usinado a quente

O Departamento de Estradas de Rodagem de Pernambuco (DER-PE) entregou o primeiro trecho das obras de restauração erequalificação da BR-101 na manhã desta terça-feira (3). Este segmento, que vai de Abreu e Lima, na Região Metropolitana do Recife (RMR), à avenida Norte, no Recife tem 12 quilômetros de extensão em cada sentido da rodovia, em um total de 24 quilômetros de pista.

Neste trecho liberado pelo DER-PE foram executadas ações como a retirada das placas de concreto, recomposição da estrutura do pavimento, drenagem e aplicação do novoasfalto em concreto betuminoso usinado a quente (CBUQ). Em abril serão finalizados os trabalhos de implantação da nova sinalização, com a pintura das pistas e a instalação das placas de trânsito.

A intervenção total no contorno Recife da BR-101 totaliza cerca de 90 quilômetros em obras - incluindo rodovia, acostamentos e acessos - entre as cidades de Abreu e Lima e Jaboatão dos Guararapes, também na RMR. Os investimentos na recuperação da via somam R$ 192 milhões e são fruto de parceria entre os Governos Estadual e Federal. A previsão de finalização da obra é para o final de dezembro de 2018.

Obras

As obras seguem em andamento com duas frentes de trabalho atuando no sentido Norte-Sul, no trecho entre a Comunidade dos Milagres e a Fábrica da Coca-Cola, com previsão de entrega para o final de abril e no trecho Sul-Norte, entre a passarela do Engenho do Meio e o viaduto de Dois Irmãos.



Imóveis do

Fonte: JC Online | 03 de abril de 2018

Imóveis do "Minha Casa Minha Vida" são depredados em Arcoverde

Os imóveis ainda não haviam sido entregues aos beneficiários. Moradores do local, que já receberam as casas, denunciaram a investida

Casas do conjunto habitacional Maria de Fátima Freire foram depredadas e roubadas, em Arcoverde, no Sertão de Pernambuco. Os imóveis, que pertencem ao programa Minha Casa Minha Vida, do Governo Federal, ainda estavam desocupados.

Na segunda-feira (2), moradores do residencial notaram que, as casas que ainda não haviam sido entregues, tiveram as portas arrombadas, janelas danificadas, vidros quebrados. Além disso, caixas d’água, aquecedores, pias, torneiras e vasos sanitários haviam sido roubados.

De acordo com a denúncia dos moradores, a suspeita é de que os autores da depredação sejam as famílias que não conseguiram moradia. Ainda denunciam que os suspeitos também ficam no local “tirando a paz e prejudicando as famílias” que já moram no local.



Nota da Prefeitura
Em nota, a prefeitura do município informou que algumas casas do conjunto habitacional faltam ser entregues por conta de uma pendência na documentação dos beneficiários. Mas, além do atraso da entrega de documentos, a prefeitura reconhece que Banco do Brasil tem colocado dificuldades na solução da questão.

Também foi publicado pela prefeitura que a Secretaria de Assistência Social, juntamente com a assessoria jurídica, irão até São Paulo, resolver questões burocráticas no Centro Operacional Habitacional do Banco do Brasil (Cenop), para assim, entregar as mais de 150 casas que ainda faltam ser concedidas aos beneficiários.

Em relação à segurança cobrada pelos moradores do Maria de Fátima, a prefeitura destaca que a responsabilidade da defesa e patrulha dos imóveis é da Polícia Militar.



Fonte: Diário de Pernambuco | 03 de abril de 2018

Casa nova longe das inundações

Cinquenta e duas famílias que viviam às margens do Rio Beberibe receberam habitações. PAC específico da área prevê reformulação da área ribeirinha

Quando a chuva chegar com força nos próximos meses, 52 famílias que conviviam com os constantes transbordamentos do Rio Beberibe já não acordarão mais apreensivas por causa das inundações durante a madrugada. A primeira etapa de dois conjuntos residenciais populares, um em Campo Grande e outro em Ponto de Parada, foi entregue na manhã de ontem pelo prefeito do Recife, Geraldo Julio. As famílias, que já aguardavam pelos habitacionais há mais de 20 anos, receberam as chaves ontem e terão até o fim da semana para fazer a mudança para as novas unidades. A ação faz parte do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) Beberibe I.

O Habitacional Vereador Liberato Costa Junior, em Campo Grande, prevê a construção de 65 casas estilo duplex, com 47m2, contendo sala, cozinha, dois quartos, banheiro e área de serviço. O investimento nesse projeto é de R$ 4,3 milhões com recursos do PAC Beberibe via governo federal, mais contrapartida da Prefeitura do Recife. Nesta primeira etapa, 20 unidades residenciais foram concluídas. Receberam as chaves antigos moradores de Campina do Barreto, que haviam sido retirados das margens do Rio Beberibe para a execução da obra da Via Marginal, que ligará este bairro a Peixinhos, em Olinda.

Já o Residencial Engenheiro Henoch Coutinho é formado por apartamentos de 41m2, com sala, cozinha, dois quartos, banheiro e área de serviço. Das 96 unidades previstas, 32 foram entregues ontem às famílias que viviam na comunidade Beira Rio, nos bairros de Porto da Madeira, Beberibe e Dois Unidos. O investimento nesse conjunto foi de R$ 5,4 milhões. “Esses habitacionais entregues hoje (ontem) vêm por conta das obras de urbanização do Rio Beberibe, que contemplam serviços de esgotamento sanitário, pavimentação, drenagem das vias do entorno do Beberibe, além da construção da Via Marginal. As famílias estão sendo realocadas para os novos habitacionais. Essas pessoas que recebem as chaves de suas casas esperaram dez, 20, 30 anos para ter uma moradia como essa, com cuidados no acabamento, reboco, pintura e cerâmica nas áreas molhadas (banheiro e cozinha)”, destacou Geraldo Julio.

A agente de saúde ambiental Adriana Vanessa, 37 anos, foi uma das que receberam as chaves do habitacional no Porto da Madeira. Ela morava há 27 anos às margens do Rio Beberibe e disse que, de tanto perder móveis e eletrodomésticos com as inundações, deixou de comprá-los. Só agora poderá organizar novamente sua casa. “Quando chovia, o rio enchia e minha casa alagava. No ano passado, fui retirada de casa dentro de uma geladeira. E desde então, não tenho mais bens em casa. Por isso quero me mudar hoje mesmo, já passar aqui esta noite com meu marido e meus dois filhos”, comemorou Adriana. As obras tiveram início em 2013.

A aposentada Ivone Ferreira, 62 anos, que tem mobilidade reduzida, já precisou ser retirada pelo Corpo de Bombeiros em uma das enchentes do Rio Beberibe. Ela morava há mais de 30 anos na Comunidade Beira Rio, no Porto da Madeira. “A minha casa era de tijolos, mas enchia sempre que chovia. E eu nem lembro quantas vezes eu já recebi a promessa de ganhar um apartamento para morar porque meu esposo também é deficiente”, contou dona Ivone. Os imóveis das famílias beneficiadas, que ficavam nas margens do Beberibe, estão sendo demolidos para dar lugar aos 5km da Via Marginal que vai ligar os bairros da Campina do Barreto a Peixinhos.

Números

-16 conjuntos residenciais estão previstos dentro do PAC Beberibe, totalizando
-1.522 unidades habitacionais
-R$ 131,7 milhões é o investimento do -PAC Beberibe I
-R$ 119,5 milhões é o investimento do -PAC Beberibe II

23 ruas do entorno do Rio Beberibe receberão serviços de saneamento integrado
5km é a extensão da Via Marginal que vai ligar os bairros de Campina do Barreto e Peixinhos



Fonte: Diário de Pernambuco | 03 de abril de 2018

Pela sustentabilidade local

A Associação Municipalista de Pernambuco (Amupe), realiza na próxima quinta e sexta-feira, o 5º Congresso Pernambucano de Municípios, no Centro de Convenções, com abertura a partir das 10h. O tema desta edição será Objetivos de Desenvolvimento Sustentável: Meta Global, Ação Municipal. Na quinta-feira, o evento contará com a presença do governador Paulo Câmara (PSB), ministros, senadores, prefeitos e outras autoridades do meio político. Na ocasião, Amupe, Pnud e o governo do estado, assinarão um memorando de entendimento e o lançamento do Prêmio Prefeito Empreendedor, promovido pelo Sebrae.



Fonte: Diário de Pernambuco | 28 de março de 2018

Estado vai entregar 2,3 mil habitações

Governo de Pernambuco também construirá conjunto residencial para policiais militares perto da Arena de Pernambuco, em São Lourenço da Mata

Dois mil e trezentos imóveis estão prontos para serem entregues pelo governo do estado neste ano. Até agora, outras 605 moradias, 105 delas localizadas na cidade de Barreiros, na Mata Sul, e 500 na Ilha de Itamaracá já foram repassadas aos proprietários. Também há 10 mil unidades em construção em todas as regiões.
A Secretaria de Habitação de Pernambuco pretende erguer ainda um conjunto residencial para policiais militares. Serão duas mil residências construídas em parceria com o Minha Casa, Minha Vida. A SecHab já avalia um terreno próximo da PE-408 e da Arena Pernambuco, em São Lourenço da Mata.

O anúncio foi feito ontem pelo secretário de Habitação, Kaio Maniçoba, em visita ao vice-presidente institucional do Diario, Lauro Gusmão. “Estamos estudando algumas áreas, dentre elas o terreno perto da Arena. O policial militar que ganha na faixa de R$ 1,5 mil poderia adquirir o imóvel pagando prestação em torno de R$ 400. Dessa forma, terá uma moradia digna e em um lugar seguro”, disse o secretário. Maniçoba comanda a Habitação do estado há nove meses e está deixando a pasta para se candidatar a uma vaga na Câmara dos Deputados.

Segundo o secretário, a maior dificuldade para a administrar as construções está relacionada à defasagem dos contratos. “Tivemos algumas licitações onde aparecem imóveis orçados em R$ 12 mil. Agora, o subsídio pago chega a R$ 80 mil. Administrar tudo isso para que a obra não atrase nem traga prejuízo é complicado”, comentou.

Além dos imóveis entregues, a SecHab conseguiu a emissão de dois mil títulos de posse de terrenos, localizados na Ilha de Joaneiro, Chié, Santo Amaro, Santa Terezinha e no Ibura. “Temos outros mais três mil em Jaboatão e em Olinda, que estão em fase processual para serem emitidos”, acrescentou. O governo do estado ainda não anunciou quem irá substituir Maniçoba na SecHab. Ele deve entregar o comando da secretaria até o dia 7 de abril.

roda de fogo

Mais de três mil moradores da comunidade de Roda de Fogo, no bairro de Torrões, no Recife, foram beneficiados com a entrega de 600 escrituras de propriedade definitiva. A ação, fruto do Programa Meu Imóvel Legal e executada pela Pernambuco Participações e Investimentos S/A (Perpart), foi comandada pelo governador Paulo Câmara, ao lado do prefeito do Recife, Geraldo Julio, ontem à noite, na Escola Estadual Pintor Lauro Villares. O programa tem objetivo de transferir a propriedade, com registro no cartório, aos que comprovarem a posse e utilizarem o terreno para a moradia.



Fonte: Diário de Pernambuco | 28 de março de 2018

Presidente da Caixa só por seleção

A Procuradoria da República no Distrito Federal enviou ao presidente Michel Temer ontem pedido para que o próximo presidente da Caixa Econômica Federal seja escolhido por meio de “processo seletivo impessoal”. A recomendação foi feita após o atual chefe da instituição, Gilberto Occhi, indicado ao cargo pelo PP, ser citado na delação do corretor Lúcio Bolonha Funaro como beneficiário de propinas quando ocupava uma das vice-presidências do banco público. Ele nega irregularidades.
A atuação de Occhi como gestor da Caixa vem sendo apurada pela corregedoria do próprio banco e por meio de uma investigação independente, encomendada ao escritório de advocacia Pinheiro Neto. Os procuradores da República, integrantes da força-tarefa da operação Greenfield, requisitaram ao presidente da Caixa que entregue o relatório do escritório sobre suas próprias condutas. Segundo fonte da Procuradoria, ouvida reservadamente pela reportagem, o documento vem sendo solicitado desde o início do ano, mas a Caixa protela a entrega. Além do presidente Temer, também receberam pedido para que a escolha do chefe da Caixa seja impessoal o Ministério da Fazenda, o Conselho Administrativo da Caixa e o próprio Occhi. Conforme a Procuradoria, o documento leva em consideração “a iminente saída de Occhi para ocupar a chefia de um ministério”. Em dezembro, os investigadores no DF já haviam solicitado a saída de quatro vice-presidentes do banco, citados em investigações de corrupção. O pedido foi endossado pelo Banco Central, uma situação inédita. ) presidente Temer, que vinha resistindo à saída dos executivos, acabou determinando o afastamento temporário dos quatro após a intervenção do BC. Dias depois, o Conselho de Administração da Caixa dispensou definitivamente três dos quatro ex-dirigentes. O documento enviado agora ao Planalto e aos demais órgãos sugere a contratação de serviço de recrutamento para que, com isso, seja formada uma lista quíntupla. A partir dela, o presidente da República escolheria o chefe da Caixa. (AE)